segunda-feira , 14 outubro 2019
Home / Notícias / Segundo Bombeiros, terreno deslizou para dentro da empresa e causou tragédia fatal

Segundo Bombeiros, terreno deslizou para dentro da empresa e causou tragédia fatal

Volume de terras de terreno ao lado deslizou para dentro da empresa, causando tragédia (Fotos: Cedidas/Corpo de Bombeiros).
Volume de terras de terreno ao lado deslizou para dentro da empresa, causando tragédia (Fotos: Cedidas/Corpo de Bombeiros).
Volume de terras de terreno ao lado deslizou para dentro da empresa, causando tragédia (Fotos: Cedidas/Corpo de Bombeiros).

A tragédia que matou um homem no começo da tarde de terça-feira (12), por soterramento em Adamantina, pode ter sido provocada pelo deslizamento de terra, em um terreno ao lado da empresa transportadora.  Chovia forte no momento.

Filho do dono da empresa, e que também trabalhava no local, Newton Marcondes de Moura, de 54 anos, morreu após ser soterrado. Foi retirado dos escombros pela equipe do Corpo de Bombeiros com parada cardiorrespiratória, e chegou já sem vida ao pronto-socorro da Santa Casa de Adamantina (reveja).

Segundo declarações do Corpo de Bombeiros de Adamantina ao G1, um terreno que fica ao lado da transportadora, onde acontecia obras de aterro e terraplanagem, deslizou para dentro da empresa. “Após o deslizamento, uma parede de tijolos cedeu dentro da transportadora e caiu por cima da vítima”, diz o G1.

CREA irá notificar dono da obra

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) do Estado de São Paulo, por meio de sua representação em Adamantina, afirmou ao Siga Mais que deverá notificar o dono da obra realizada ao lado da empresa transportadora, onde ocorreu a tragédia.

Segundo o CREA, o proprietário será notificado para apresentar quem são os responsáveis técnicos pelas obras realizadas. Será apurado também o sinistro do prédio, juntamente com os laudos técnicos que serão apresentados.

A representação do CREA em Adamantina destaca que cabe ao órgão fiscalizar, controlar e orientar o exercício das atividades profissionais de engenheiros, agrônomos, geólogos, geógrafos, meteorologistas, técnicos e tecnólogos, e será verificado se a obra tinha profissional habilitado que responde tecnicamente pela sua execução.

Volume de terras de terreno ao lado deslizou para dentro da empresa, causando tragédia (Fotos: Cedidas/Corpo de Bombeiros).
Volume de terras de terreno ao lado deslizou para dentro da empresa, causando tragédia (Fotos: Cedidas/Corpo de Bombeiros).
Volume de terras de terreno ao lado deslizou para dentro da empresa, causando tragédia (Fotos: Cedidas/Corpo de Bombeiros).
Volume de terras de terreno ao lado deslizou para dentro da empresa, causando tragédia (Fotos: Cedidas/Corpo de Bombeiros).

Obra não tinha projeto na Prefeitura

Segundo o secretário municipal de planejamento da Prefeitura de Adamantina, João Vitor Marega, não havia projeto técnico, formal, protocolado junto à Prefeitura, para a obra.

Polícia deve apurar responsabilidades

A morte de Newton Marcondes de Moura, por soterramento, deverá ser investigada pela Polícia. Um inquérito deve apurar as circunstâncias e responsabilidades sobre o caso. A obra realizada ao lado do local, onde houve movimentação de terra e possível pressão ao muro da empresa, pode ter relação com a tragédia. Esse é inclusive um apontamento feito por familiares e populares, após o desmoronamento da estrutura.

Deverão ser juntados ao inquérito os depoimentos de testemunhas, laudos dos peritos da Polícia Científica, bem como informações sobre a obra, sobretudo se era realizada com responsável técnico e projeto formalizado junto ao poder público.

Estrutura do prédio

A condição estrutural do prédio, sobretudo visando a segurança do lugar, deverá ser avaliada por profissionais, que poderão autorizar a permanência no local ou sua desocupação. (sigamais.com)

Volume de terras de terreno ao lado deslizou para dentro da empresa, causando tragédia (Fotos: Cedidas/Corpo de Bombeiros).
Volume de terras de terreno ao lado deslizou para dentro da empresa, causando tragédia (Fotos: Cedidas/Corpo de Bombeiros).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.