quinta-feira , 9 abril 2020
Home / Notícias / Em enquete do G1, 83% dizem que população é responsável pelo aumento da dengue na região

Em enquete do G1, 83% dizem que população é responsável pelo aumento da dengue na região

(Reprodução/G1 Presidente Prudente). 

Uma enquete realizada pelo G1 de Presidente Prudente, mostra que 83,79% dos votantes atribuem à própria população a responsabilidade pelo aumento dos casos de dengue na região, neste primeiro mês de 2020. Outros 16,21% opinaram que a responsabilidade é das prefeituras.

A enquete do G1 ficou disponível para votação no período de 22 a 28 de janeiro deste ano, com a pergunta “de quem é a responsabilidade pelo aumento da dengue na região de Presidente Prudente?”. A ferramenta, que não possui caráter científico, recebeu 5.089 votos.

Desse universo, 4.264 votantes responderam “da própria população” e 825 “das prefeituras”.

Alerta: casos crescem e há registros de mortes

A combinação de tempo chuvoso com sol, e a falta de cuidados com a eliminação de recipientes que possam acumular água, tem trazido de novo o problema da dengue à região. Neste mês de janeiro, segundo divulgados nesta semana pelo Siga Mais, já são 41 casos em Adamantina (veja mais) e 237 em Lucélia (veja mais). Outros casos suspeitos aguardam confirmação.

A preocupação aumenta com os casos de morte que têm relação com a doença. Há registros de pessoas que morreram em decorrência de dengue hemorrágica, como ocorreu neste mês de janeiro em Parapuã, e dois casos em Presidente Venceslau.

Lucélia contrata mais médicos e monta sala de hidratação

A alta incidência de casos de dengue em Lucélia levou a Prefeitura da cidade a decretar situação de emergência, e entre as medidas já colocadas em prática está a contratação de dois médicos para atender os casos suspeitos e prestar os cuidados aos pacientes com quadro confirmado da doença, bem como a instalação de uma sala de hidratação que funciona de segunda a sexta-feira, das 7 às 16 horas, no centro de saúde.

(Com informações do G1 e Sigamais.com)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.