quinta-feira , 19 julho 2018
Home / Artigos / Obesidade e gengivite

Obesidade e gengivite

obesidadeinfantil-e1489361651859

A obesidade aumenta a probabilidade e a gravidade das doenças periodontais

 

Fastfood, trabalho sedentário, falta de exercício, comidas refinadas, industrializadas e ricas em açúcar e gorduras consumidas em grande quantidade e com frequência: tudo isso contribui consideravelmente para um problema que está se tornando cada vez mais comum entre a população: a obesidade.

A obesidade é a causa de muitas doenças e contribui para o agravamento de tantas outras, podendo inclusive, levar a morte. Estudos recentes mostram que a obesidade aumenta também a probabilidade e a gravidade das doenças periodontais, que podem começar com um pequeno sangramento e ir se agravando até a perda dos dentes por falta de tecidos periodontais suficiente para manter sua estabilidade na boca. O que ocorre é que o organismo de uma pessoa obesa produz, de forma constante, citocinas.

Essa proteína com propriedades inflamatórias causam lesos nos tecidos gengivais e diminuem o fluxo sanguíneo lavando a gengivite. Como a pessoa obesa tem alterações em seu sistema de defesa, a evolução da doença acaba sendo mais rápida e agressiva, demandando cuidados rápidos e imediatos.

As doenças periodontais têm influência direta na saúde geral. E assim como as doenças sistêmicas, produzem alterações periodontais como as gengivites e periodontites. O que acaba sendo um círculo vicioso, em que a causa e o efeito se revezam, dificultando a cura. Por isso, um tratamento do indivíduo como um todo e não só do problema bucal vai ter muito mais sucesso.

No paciente obeso existe uma nutrição deficiente dos tecidos corporais devido à falta de oxigenação e dificuldade de circulação dos nutrientes por conta do excesso de gordura. Isso também se aplica as gengivas que, devido a essa situação, tem maior facilidade para o desenvolvimento de doenças periodontais.

Geralmente, a obesidade vem acompanhada de doenças sistêmicas que tornam necessário o uso de medicamentos. Muitos deles, como anti-hipertensivos, anti-inflamatórios esteroidais e outros, causam aumento do volume da gengiva. Se tudo isso forem acrescentados períodos de alterações hormonais como; puberdade, gravidez ou climatério, os sintomas das doenças periodontal podem se tornar mais agressivos, piorando o quadro clínico. Aquilo que começou com simples inchaço e sangramento das gengivas pode evoluir para uma periodontite. Isso pode implicar na perda do tecido ósseo que circunda o dente que, acaba amolecendo, entortando e mudando de posição na boca.

Geralmente, a pessoa obesa tem hábitos alimentares nocivos. A ingestão de alimentos, principalmente o uso de doces e refrigerantes, de forma excessiva, entre as refeições sem a devida higiene logo após, é um exemplo disso. Além da disfunção nutricional, tudo isso acaba gerando mais matéria orgânica aderida aos dentes que, juntamente com as bactérias da boca, darão o passo inicial para a gengivite.

É necessário que o obeso tenha acompanhamento de uma equipe médica multidisciplinar (médico, nutricionista, dentista e psicólogo) para que aja sucesso não só no tratamento periodontal, mas também na restituição da saúde geral.

 

Dr. Élcio Bueno

Cirurgião Dentista – Especialista em Ortodontia

CRO\SP: 82435

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *