terça-feira , 19 fevereiro 2019
Home / Notícias / Professor de educação física é preso acusado de roubo e ato violentos ao pudor em Adamantina

Professor de educação física é preso acusado de roubo e ato violentos ao pudor em Adamantina

Polícias Civil e Militar atuaram no caso e obtiveram na Justiça a decisão que levou à prisão do professor de educação física suspeito de crimes contra vítimas mulheres (Arquivo).
Polícias Civil e Militar atuaram no caso e obtiveram na Justiça a decisão que levou à prisão do professor de educação física suspeito de crimes contra vítimas mulheres (Arquivo).
Polícias Civil e Militar atuaram no caso e obtiveram na Justiça a decisão que levou à prisão do professor de educação física suspeito de crimes contra vítimas mulheres (Arquivo).

Foi preso no final da tarde desta quarta-feira (30), em Adamantina, um professor de educação física acusado de abordar mulheres, roubá-las e praticar atos violentos contra o pudor dessas vítimas.

A investigação, identificação do autor e sua prisão tiveram a atuação conjunta da Polícia Civil e Polícia Militar de Adamantina. Em nota à imprensa distribuída nesta quinta-feira (31) pelo Batalhão PM, foi noticiada sua prisão, sendo o mesmo identificado pelas iniciais C.G.M.M., de 26 anos. A prisão ocorreu na Vila Jamil de Lima.

As primeiras queixas contra o professor de educação física, que dá aulas em uma academia da cidade, ocorreram no sábado. Ele se utilizava de sua moto e abordava as vítimas mulheres pelas ruas da cidade.

Segundo a Delegacia de Defesa da Mulher, onde o caso é apurado, foram identificadas duas vítimas. Na abordagem às mulheres, o educador físico perguntava onde era o “Buracão” (Parque dos Pioneiros), e em seguida ameaçava as vítimas, com arma de fogo, exigindo dinheiro e que mostrassem partes do corpo.

Contra uma das vítimas, armado, pediu que levantasse a rouba e entregasse dinheiro. No segundo caso identificado, abordou outra vítima, pedindo também que levantasse o vestido, quando passou as mãos nos seios da mulher, e também exigiu dinheiro.

Com esses relatos, foi iniciada a instrução do caso, e cujas informações permitiram subsidiar o pedido de prisão temporária, apresentado junto ao Poder Judiciário da Comarca de Adamantina, que rapidamente acatou e autorizou a prisão do suspeito e buscas e apreensão em sua casa.

De posse do mandato, as polícias Civil e Militar mobilizaram uma ampla operação, com cerca de 15 homens, para o cumprimento da decisão judicial. Esse cuidado foi tomado em razão das características físicas do educador físico e de históricos anteriores, quando esteve envolvido em ocorrências policiais.

No cumprimento do mandado de prisão, o educador físico foi detido temporariamente. No caso, por se tratar de crime hediondo, a validade inicial é de 30 dias, e poderá ser eventualmente prorrogada, a partir de nova decisão judicial.

Após sua prisão, o educador físico foi reconhecido por uma das vítimas, que teria sofrido atos violentos ao pudor. O acusado deverá ser submetido a reconhecimento por uma segunda vítima, de roubo, pela manhã desta quinta-feira (31).

Segundo a Delegacia de Defesa da Mulher, o homem foi indiciado ontem, após ser preso. Com sua prisão, as polícias de Adamantina acreditam que possam surgir outras vítimas.

Nas buscas, os policiais apreenderam também a moto do educador físico, usada nas abordagens, capacetes, mochila e outros objetos pessoais.

Terceira vítima

O caso dos ataques do educador físico contra mulheres já pode ter uma terceira vítima, sendo esta uma pessoa idosa. A polícia deverá identificar essa vítima e tentar ouvi-la oficialmente nos autos.  (sigamais.com)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *