quinta-feira , 19 julho 2018
Home / Notícias / Camda completa 53 anos de progresso

Camda completa 53 anos de progresso

Sede da Camda de Adamantina. Foto: DeCom Camda
Sede da Camda de Adamantina. Foto: DeCom Camda
Sede da Camda de Adamantina. Foto: DeCom Camda

Ao avaliar o sucesso da cooperativa Camda nesses 53 anos, não se pode deixar de reconhecer que seu crescimento está intimamente ligado ao alto desempenho dos profissionais que dela fazem parte.

O processo de profissionalização teve início em 1986, com a contratação de engenheiros agrônomos e veterinários recrutados entre os formandos que mais se destacavam em faculdades de reconhecido conceito e profissionais de gestão de altíssimo nível gerencial e com sólida formação acadêmica.

A partir dessa época a Camda teve seu crescimento pautado em pesquisas e análises das necessidades dos cooperados e, ano após ano, foram abertas novas filiais, ampliando as frentes de atuação e admitindo novos profissionais especializados nas mais diversas áreas. Tudo com o objetivo de prestar ao homem do campo o melhor serviço, o melhor atendimento e a melhor tecnologia em assistência técnica.

A pequena loja da década de 60 se transformou numa grande empresa, e todo o seu desenvolvimento sempre se baseou em planejamento técnico e estratégico, alicerçado na excelência de gestão de seus dirigentes, para atender o potencial mercadológico e as particularidades da cultura e da pecuária de cada região.

 

Um pouco de história

A importância do cooperativismo passou a existir a partir da constatação de que a cooperação – ato de fazer as coisas junto com outras pessoas ou encontrar soluções para problemas ou objetivos comuns que interessavam a um determinado grupo – agregava como um todo. Essa é a ideologia cooperativista.

Entretanto, para tornar concreta essa ideologia, é preciso um instrumento prático: qual seja a cooperativa em si. E, para tornar-se permanente, esse grupo de pessoas que formam a cooperativa tem que alcançar resultados econômicos, efetivamente positivos.

Com base nesses fundamentos, em 4 de abril de 1965, 23 agricultores, liderados pelo também  agricultor  Mário Matsuda,  plantaram a semente que deu vida jurídica à  Camda – Cooperativa Agrícola Mista de Adamantina,  na cidade do mesmo nome, na alta paulista do Estado de São Paulo. Seu capital inicial foi de Cr$ 22 mil (moeda da época).

 

Como surgiu a Camda

Adamantina é um município onde a reforma agrária se fez naturalmente. Desde o início de sua colonização, 40 mil hectares de terra foram distribuídos entre 900 pequenos e micros proprietários, que passaram a tirar seu sustento das lavouras de café, cuja produção tornou-se uma das mais significativas do país.

A família Matsuda, também cultivava café, e por estar nessa pequena cidade do interior, sofriam com os elevados preços dos insumos, falta de informações precisas dos mercados externos – que poderiam indicar as melhores épocas de venda do café, além das altas taxas cobradas por máquinas beneficiadoras etc.

Insatisfeito com essa realidade, no início do ano de 1964, Mario Matsuda deu início aos estudos sobre o sistema cooperativista e em um bar, na avenida Rio Branco, se reuniu com outros 11 produtores de café para discutir a ideia de organizar e fundar uma sociedade cooperativa com o propósito de obterem melhor preço na venda do café e na compra de insumos .

Naquela época, a burocracia para conseguir o registro era muito grande e para concretizar esse registro foram necessários 1 ano e 4 meses de luta, viagens e muita dedicação.

Vencidos todos os obstáculos e desafios, em 4 de abril de 1965 foi lavrada a ata de constituição e assim nasceu a Cooperativa Agrícola Mista de Adamantina, tendo a diretoria executiva formada por Amador de Oliveira Ramos (dir. presidente), Mario Matsuda (dir. gerente) e Mario Miguel (dir. secretário). Já em 1966, Mario Matsuda assumiu a presidência e com alternância e renovação periódica de participantes, os cooperados o mantiveram a frente até o ano de 1996, quando Mario manifestou o desejo, então, de transferir a presidência. Foi assim que na Assembleia de março de 1997, Osvaldo Matsuda foi eleito e assumiu a presidência em 1º de abril do referido ano – e desde então, tem sido reeleito seguidamente até a presente data.

 

Primeiro prédio

Ainda no primeiro exercício de atividades, a diretoria adquiriu um imóvel para o funcionamento da sede, à rua Chujiro Matsuda, nº 25, com 620 m² – em cujo local encontra-se até hoje.

Com o número de cooperados crescendo, graças à administração eficiente e sempre procurando atender as necessidades e reivindicações dos cooperados, já em1966 a cooperativa ampliou as instalações e construiu um barracão de 240 m² e no ano seguinte, para poder receber os produtos dos associados, mais um barracão foi construído com 588 m². E assim a Camda se expandiu, o número de cooperados cresceu e se consolidou a cada ano.

 

Atualmente, a Camda conta com o seguinte patrimônio em imóveis:

 Prédios e armazéns próprios     62.787 m ²

Prédios e armazéns alugados    47.927 m²

Terrenos urbanos                       186.881 m²

Propriedades agrícolas próprias    142 hectares

 

Primeira Filial

No início da década de 1970, a região reconhecendo o trabalho realizado pela Camda em benefício dos cooperados, reivindicava a presença mais próxima, e em janeiro de 1973 foi instalada a primeira filial, na cidade de Junqueirópolis – marco inicial da expansão da cooperativa que hoje apresenta o seguinte quadro de unidades: 38 lojas, uma fábrica de suplementos, uma fábrica de ração, um local para recebimentos de milho, duas fazendas experimentais, um clube de campo, quatro depósitos fechados, duas centrais de estoques, um laboratório de análise agronômica e dois postos de recebimento de embalagens próprios – além dos 33 conveniados.

Hoje a Camda está presente nos seguintes Estados e cidades:

– Lojas no Estado de São Paulo: Adamantina, Andradina, Araçatuba, Assis, Dracena, Jaú, Junqueirópolis, Lençóis Paulista, Lins, Macatuba, Ourinhos, Pacaembu, Penápolis, Presidente Prudente, Santa Fé do Sul, São Joaquim da Barra e São José do Rio Preto.

– Lojas no Estado de Mato Grosso do Sul: Aquidauana, Bataguassu, Campo Grande, Coxim, Dourados, Naviraí, Nova Andradina, Paranaíba, Ribas do Rio Pardo e Três Lagoas.

– Lojas no Estado de Minas Gerais: Coromandel, Frutal, Gurinhatã, Ituiutaba, Iturama, Monte Alegre de Minas, Tupaciguara e Uberlândia.

– Lojas no Estado de Paraná: Cambará e Londrina.

– Loja no Estado de Goiás: Quirinópolis

 

Quadro de colaboradores

A estrutura organizacional da Camda – pelo seu corpo de colaboradores  – é considerada hoje um exemplo de eficiência pelo desempenho, dedicação e competência de cada funcionário, independente do posto hierárquico que ocupa.  Essa qualificação pessoal/profissional é que permite à direção tomar acertadas decisões em tempo real, cujos resultados positivos se refletem nos balanços anuais.

O sistema de recrutamento e seleção de colaboradores obedecem ao rígido critério de competência, formação educacional – em seus vários aspectos -, determinação, dedicação pessoal e sadio propósito de progresso profissional.

Atualmente, os recursos humanos da cooperativa, somam 757 colaboradores atuando nos mais diversos setores da sede, filiais e demais unidades. (Por Roberta Marchioti – DeCom Camda)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *